São Paulo, 4 de julho de 2014 - A decisão da justiça norte-americana contra a Argentina na disputa sobre a dívida soberana do país pode acabar repercutindo em todos os países com dificuldades para honrar seus compromissos financeiros, além de mudar as interações entre credores e devedores no próprio mercado argentino. A avaliação é de analistas entrevistados pela Agência CMA.

No dia 16 de junho, a Suprema Corte dos Estados Unidos recusou o último apelo do governo argentino e o obrigou a pagar o valor integral, de US$ 1,3 bilhão, a grupos de credores que não aceitaram participar das reestruturações da...

* * *
Program
The opinions expressed in this article/multimedia are those of the author(s) and do not necessarily reflect the views of CIGI or its Board of Directors.